03 de março 2022

Educar para a Esperança

Pe. Miguel Ramon

O tema da Campanha da Fraternidade deste ano é um convite para refletirmos sobre a educação como caminho para uma maior amizade social, compromisso com uma sociedade de irmãos e irmãs e a preservação plena da natureza.

É um tema muito abrangente com múltiplos aspectos e dimensões. Nesta breve reflexão quero destacar a importância de educar para a esperança. Sem esperança se fica parado no tempo e no espaço. Não vislumbra um futuro diferente, não se move em direção de algo que ainda não existe. Não alimenta sonhos que um dia possam se realizar.

Estamos vivendo tempos muito difíceis no Brasil e no mundo. O Coronavírus revelou fortemente as limitações humanas e até a incompreensível atitude de alguns dirigentes de não quererem combatê-lo com a única arma possível: a vacina. A falta de conhecimento, a ignorância, posições ideológicas, oportunismo político e a insensibilidade diante da dor, do sofrimento e da morte de milhares, levou à tomada de decisões inconcebíveis para a inteligência humana.

As enchentes e deslizamentos de terra na Bahia, em Petrópolis e em outras partes do Brasil nos confrontaram com mais um drama na vida de tantas pessoas. Podemos completar o quadro desalentador com o aumento generalizado da desigualdade social, do desemprego, da fome e da miséria.

Por acréscimo surgiu a guerra ceifadora de milhares de vidas na Ucrânia e o drama indescritível de milhões de refugiados, especialmente mulheres e crianças. Assistimos a cenas de dor e sofrimento de cortar o coração.

Diante de tais situações podemos nos sentir impotentes, ficar paralisados e desanimados, como que conformados com o inevitável. Mas há outro caminho possível e necessário: fomentar e educar para a esperança.

Quem tem esperança não fica satisfeito com o que existe, vê as dificuldades, as limitações, as barreiras e os obstáculos que se colocam à sua frente, mas não desiste de lutar e de buscar saídas. Diante da insatisfação, da indignação e até de revolta, move-se em direção de novos horizontes. A esperança dá forças para resistir e empregarr o melhor de si mesmo para combater a injustiça, a violência e as ofensas à dignidade humana. A esperança. apesar de tudo, continua alimentando o sonho que um dia vamos habitar em harmonia com todos no Planeta Terra, Casa comum de toda a humanidade.

Todo processo educativo é importante para que não seja roubada a esperança e o sonho da fraternidade que dela brotam.