11 de março 2022

Educar para Adquirir Conhecimento

Pe. Miguel Ramon

Há algumas décadas, a máquina de escrever era um instrumento de suma importância para produzir textos. Quem conseguiu passar por um curso de datilografia facilitou muito seu acesso ao mercado do trabalho. Hoje não se usa mais esta máquina e no seu lugar entrou o computador. Mas este não serve mais somente e prioritariamente para escrever textos, que aliás são elaborados de forma bem diferente com inúmeras novas possibilidades, inclusive através da transcrição automática da voz. O computador escreve o que se fala.

A entrada do computador não melhorou somente a maneira de escrever textos, mas abriu canais de comunicação e de informação antes impensáveis. Criou-se toda uma rede de acesso quase ilimitado a conhecimentos dos mais diversos. Nas pesquisas na Internet pode-se encontrar respostas a quase todas as perguntas que um ser humano possa fazer. Mais do que isso, são dadas respostas e oferecidas pistas que abrem um novo campo de links e informações que tendem ao infinito. Cai sobre o investigador uma avalanche de dados e possibilidades. Nem sempre é fácil distinguir o trigo do joio. Corre se o risco de ser soterrado sob um monte de informações sem realmente chegar a um verdadeiro conhecimento.

Em 1990 foi lançado o telescópio espacial Hubble. As imagens captadas por meio das suas lentes e seus espelhos revelaram um universo imenso e mais belo do que o ser humano havia imaginado. Foram coletados dados e informações preciosas sobre a origem do universo e a existência de mais de 1500 galáxias nele. Recentemente, em 25dezembro de 2021 foi lançado o novo telescópio chamado James Webb que trará imagens muito mais nítidas e detalhadas do universo a uma distância de um milhão de quilômetros da Terra. O progresso no conhecimento da origem e da composição do universo progride a passos largos e proporciona uma revolução na Astronomia. Evidentemente que isso influencia toda a nossa maneira de entendermos a nossa presença na Terra e a nossa percepção do céu. É apenas um exemplo de como estamos evoluindo no campo do conhecimento.

Neste contexto fica claro que a transmissão de conhecimentos de geração para geração não acontece mais da mesma forma como era até em épocas recentes. As evoluções e mudanças rápidas não permitem mais repetir simplesmente o que a geração precedente conhecia. O novo paradigma agora é não somente passar conteúdos cognitivos do passado, mas preparar para aprender. Educação é introduzir em um processo constante de aprendizagem: aprender a aprender.

Muda o enfoque do conhecimento, mas não tira a necessidade de sempre conhecer mais e melhor, especialmente em vista de um aperfeiçoamento das condições de vida, da humanização das relações entre as pessoas e da maneira como lidamos com a natureza. Não é suficiente um conhecimento teórico, mas é necessária sua repercussão prática na vida concreta. Para se situar bem na vida não é suficiente um conhecimento racional e científico, mas é necessário buscar uma verdadeira sabedoria, que integra as informações obtidas em um projeto de vida, que torna a pessoa mais humana, consciente da sua própria dignidade, capaz de se relacionar positivamente com os outros e sentir-se corresponsável para a construção de uma sociedade solidária e a preservação da natureza.

Neste novo horizonte de aprendizagem e conhecimento surgem inevitavelmente novos analfabetos. A pandemia do Coronavírus revelou com toda clareza como milhares de crianças, adolescentes, jovens e adultos ficaram sem acesso à Internet e formas de aprendizagem à distância. Reforçou apenas uma tendência já existente há muito tempo na sociedade excludente. São milhares de pessoas que por falta de familiaridade e compreensão do funcionamento das redes sociais ficam facilmente afastadas de conhecimentos atualizados e, pior ainda, são manipuladas por informações falsas que as deixam desnorteadas neste novo mundo, sem rumo para sua vida.

São indispensáveis programas e iniciativas que permitam a um número máximo de pessoas de terem acesso a estes novos meios tecnológicos que os eduquem para adquirirem conhecimentos adequados para orientar sua vida e permitindo sua inserção plena no convívio social.