• ACOPAMEC

Formação de colaboradores discute diversidade de gênero

A Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021 traz como tema : "fraternidade e diálogo: compromisso de amor"; e o lema: "Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade" (Ef 2,14). A ACOPAMEC não apenas inspirada na campanha da fraternidade, mas nos próprios valores que definem a entidade, entre eles o respeito à diversidade que, na formação do mês de abril junto aos seus colaboradores dialogou sobre diversidade de gênero contando com a participação de convidados muito especiais.


O primeiro deles foi o professor, mestre em Desenvolvimento Humano, Consultor de Carreira e Assistente Social Anailton dos Anjos, seguido do psicólogo e ativista Juliano Pinto, de Genilson Coutinho do CPDD LGBT - Centro de Promoção de Direitos Humanos com a mediação da psicóloga Kátia Silva.


Mesa de palestrantes
Mesa de palestrantes


O encontro avaliado por todos como um sucesso permitiu fortalecer premissas da Acopamec: acolhimento, respeito e promoção humana. A entidade sempre voltada a acolher os mais vulneráveis da nossa sociedade buscando transformar realidades duras de fome, desemprego, racismo, abusos e violências diversas, e assim possibilitar vida com dignidade a cada uma dessas pessoas, atualmente tem entre seus acolhidos meninas/mulheres trans e de outras identidades de gênero.


Para nós o amor, respeito e acolhimento a todos e todas ao longo dos nossos trinta anos vem sendo reafirmado e, assim como temos como lema um Cristo que é a nossa paz, certamente iremos repudiar a cultura do ódio, discriminação, racismo e violência contra mulheres, pessoas negras, indígenas e LGBTQI+.


“Venham todos, mulheres e homens, Superar toda polaridade, Pois em Cristo nós somos um povo, Reunidos na diversidade” (estrofe do hino da Campanha da Fraternidade 2021 e que muito nos representa!)

Em entrevista com o palestrante Anailton dos Anjos, professor, mestre em Desenvolvimento Humano, Consultor de Carreira e Assistente Social o mesmo classificou o dia de formação e o tema da palestra: “ diversidade e sexualidade de gênero” como uma experiência fantástica, sobretudo pelo fato da Acopamec ter como base o cristianismo, o catolicismo e como entidade favorecer uma pauta em uma perspectiva acolhedora, educativa e de compreensão à diversidade.



Palestrante Anailton
Palestrante Anailton


“Costumo dizer a partir de um ditado popular que os dedos das mãos são irmãos, mas não são iguais, assim são as pessoas. Todos nós somos filhos e filhas de Deus e ampliar a compreensão de que todos(as) são pessoas humanas e diferentes é muito importante. Nossa diversidade vai desde a tonalidade da cor da pele, nos diferentes gostos, naquilo que te dar prazer ou não e também na orientação sexual e é sobre isso que estamos dialogando e quebrando tabus”, disse o palestrante.


Anailton seguiu esclarecendo que numa perspectiva de compreensão de gênero é determinante destacar que gênero tem muito mais a ver como o sujeito se percebe e como ele se enquadra afirmando que é muito comum na sociedade que vivemos que sejamos identificados a partir da genitália que caracteriza o sexo: macho e fêmea e não a sexualidade que possui um conceito muito mais amplo e que perpassa pelo seu gosto, pela sua identificação, pelo que desperta interesse.


Finalizou que precisamos pensar esse sujeito, a existência desses corpos na sociedade e que um espaço educativo, acolhedor, de cidadania e de acolhimento a essa sociedade como é a Acopamec precisa acolher a diversidade nas suas especificidades e para esta ação só é possível quando se muda a politica de atuação. Referiu-se a Acopamec como: “a entidade do amor”, uma entidade que se comunica com o amor e com o respeito, parabenizando padre Miguel Ramon e toda a sua equipe pela ousadia e por ter não divergir teoria e prática.




“A atitude de AMOR é algo que mais me chamou atenção aqui na Acopamec”, destacou o palestrante Anailton dos Anjos






“A Acopamec está de parabéns principalmente porque é uma entidade que está aberta a promover a cidadania, a vida, o respeito e por não discriminar e sim amar e ensinar o outro a amar o próximo como a ti mesmo como Jesus nos pede. Isso sim é ser igreja, é ter atitude que condiz com dizer que pensa no irmão excluído, que já sofre tantas violências e preconceitos e minimizar essa dor acolhendo-o como é. Sem dúvidas o que mais me chamou atenção nessa instituição é a atitude de amor”, concluiu Anailton.

Para o psicólogo Juliano Costa Pinto que também participou como um dos palestrantes do encontro a Acopamec trazer de forma tão transparente esse tema só valida a seriedade e compromisso da organização e que reverbera em um trabalho sério, pedagógico e que traz para a sua prática de acolhimento e atenção à vida tratar esclarecer dúvidas a cerca da temática LGBTQI+ e que hoje é uma realidade impactante na vida dos jovens e de todos(as) que vivenciam muito preconceito devida a sua opção sexual.“ A Acopamec já traz nessa vivência acolher os mais necessitados sem olhar a sua opção sexual. Daí falar, entender e ensinar as pessoas que aqui estão lidar com essa realidade de forma respeitosa e digna para o acolhido é muito importante. Temos que agradecer e tirar o chapéu para a Acopamec”, conclui Juliano.



Palestrante Juliano
“Temos que agradecer e tirar o chapéu para a Acopamec pelo respeito e atenção à vida dos acolhidos, independentemente, da sua opção sexual”, afirma o psicólogo Juliano Pinto.



O evento encerrou às 17h e teve como dinâmica realização de grupos de trabalho visando debater a temática com exemplos do dia a dia e revisitar os olhares e atitudes que marquem cada vez mais valores da entidade de compromisso de amor e cuidado com o outro.